Foto: Bruno Zoqbi

   

Com quase cem anos de história – desde a sua emancipação, em 1924 –, Raul Soares carrega, na herança cultural da cidade, as linhas de força da formação de Minas Gerais: a sombra dos povos originários – os índios conhecidos, localmente, como boachás –, a resistência corajosa e ainda viva dos povos quilombolas, as aventuras e desventuras dos bandeirantes, o esforço dos colonos e imigrantes para edificar, às margens dos rios Matipó e Santana – afluentes do Rio Doce –, o povoado de São Sebastião de Entre Rios, ainda no século XIX, e para construir, já no século XX, a estrada de ferro que ligava Caratinga à cidade de Três Rios (Minas Gerais ao Rio de Janeiro), contribuindo, de maneira determinante, para o desenvolvimento da região, do estado e do país. Desde 2007, integra o Circuito Turístico Montanhas e Fé, que abriga um conjunto de municípios, da região da Zona da Mata, com afinidades culturais, sociais e econômicas.

 

Rico em atrações naturais e culturais, quem visita Raul Soares não pode deixar de conhecer a incrível vista do Pico do Boachá, lugar ideal para a prática de voo livre, o Lago do Emboque, área utilizada por banhistas e por praticantes de esportes náuticos e aquáticos, e as pequenas cachoeiras espalhadas pela zona rural do município. A cidade ainda possui outras opções que merecem uma visita, como clubes de lazer e um dos maiores parques aquáticos e centros de entretenimento de Minas Gerais.

 

O patrimônio histórico se faz presente, de maneira mais acentuada, no centro da cidade, nas praças Dr. Durval Grossi (Praça do Coreto), Pe. José Domingues (Praça da Fonte Luminosa) e na Praça da Cultura (ou Praça da Estação), com seus monumentos que dão forma concreta à memória do povo e carregam traços da história raul-soarense, assim como nos vitrais sacros do Santuário São Sebastião.

 

Raul Soares possui uma rede hoteleira capaz de atender os mais diversos perfis de turistas, composta por hotéis urbanos, hotéis fazenda, sítios e pousadas. Antes de descobrir as belezas dessas terras ou depois de um longo passeio, nada melhor do que aproveitar as iguarias que a gastronomia tem a oferecer. Através de uma gama considerável de bares, lanchonetes, restaurantes, padarias, sorveterias, mercados e supermercados, o visitante terá a chance de degustar produtos regionais e locais, típicos da culinária mineira, sem perder o acesso a uma alimentação mais convencional.

Ver mais