Turismo em Minas Gerais | Trekking na Serra do Cipó: Travessão

Foto por: Trekking na Serra do Cipó - Milena Rocha
Atualizado em: 09/08/2021

Trekking na Serra do Cipó: Travessão

 

                                                                                      Uma travessia por histórias e belezas naturais na Serra do Cipó.

 

O ecoturismo tem se tornado uma das opções de lazer mais procuradas no atual contexto, em que buscamos espairecer e descansar.  A busca pela natureza em ambientes tranqüilos, longe de aglomerações, é uma tendência, não tem como negar.

Por isso, muitas cidades próximas a Belo Horizonte, que guardam lugares especiais, com belezas naturais e muita riqueza cultural, têm se tornado cada vez mais destaque quando o assunto é fazer uma "viagem" rápida de  fim de semana.

 

Um cinematográfico e pouco visitado cenário do Parque Nacional da Serra do Cipó

 

Localizado na parte alta do Parque Nacional Serra do Cipó, o Travessão é uma antiga passagem utilizada por tropas há séculos, o único ponto possível de passagem naquele trecho de encostas íngremes, uma grande travessa, um travessão! A região do Travessão também é o divisor de quatro municípios que compõem o território da unidade de conservação: Jaboticatubas, Santana do Riacho, Morro do Pilar e Itambé do Mato Dentro.

A denominação de vale ao Travessão é equivocada. Por sua posição nos limites dos municípios, o Travessão é, além de uma passagem, o divisor de águas. A partir dele é possível avistar a leste o Vale do Rio do Peixe, na Bacia do Rio Doce e, a oeste, o Vale do Rio Bocaina, na Bacia do Rio São Francisco.

 

Foto: A imensidão dos paredões do Travessão, na Serra do Cipó.

 

Na região, é possível conhecer muito da cultura e história mineira, além de estar imerso em uma vegetação com características únicas e uma fauna diversificada. Vale lembrar que a Serra do Cipó é um dos conjuntos com belezas naturais mais exuberantes de Minas Gerais, chamada pelo paisagista Burle Marx de “jardim do Brasil”.

 

Fotos: Campos rupestres na trilha até o Travessão/ Pinturas Rupestres

 

Como conhecer

 

O acesso oficial ao Travessão acontece pela portaria Alto Palácio do Parque Nacional da Serra do Cipó, cidade de Morro do Pilar. Nesse trajeto, o Travessão fica a 11 km da portaria Alto Palácio, totalizando 22 km ida e volta.

 

Seguindo a MG-010 até a cidade de Morro do Pilar, na portaria Alto Palácio do Parque Nacional da Serra do Cipó, é possível estacionar e começar sua caminhada.

 

Trekking até o Vale do Travessão

Foram cerca de 7 horas de caminhada no total, apreciando uma paisagem deslumbrante. Por isso é recomendado que este passeio seja planejado pra iniciar nas primeiras horas da manhã. Nós começamos por volta das 8 horas.

O grau de dificuldade é moderado (claro, para quem já tem hábito de caminhar), mas pode ser considerado difícil para quem está iniciando sua jornada nesse esporte de aventura, o trekking.

No caminho é possível observar a transição da vegetação entre os campos rupestres, cerrado e a mata atlântica. A maior parte do percurso é aberta e com pedras arenosas, alguns trechos apresentam mata fechada e densa.

Devido ao trajeto extenso e árido, uma boa dica é realizar o passeio em dias nublados e frios, já que torna a caminhada mais agradável.

O ideal é que a caminhada seja feita com um condutor de turismo, para evitar “perrengues”, até porquê, não há muita sinalização no percurso. Nós recomendamos essa opção.

É uma trilha longa e cansativa,  ideal para quem ama descansar a mente cansando o corpo. Mas é de tirar o fôlego, em todos os sentidos.

Repleta de campinas,  cercada por serras ao fundo e flores sempre-viva por toda parte. Nas formações rochosas é possível observar pinturas rupestres, que ilustram uma possível caçada.

A necessidade de se assegurar tamanha riqueza foi um dos motivos que levaram à criação do Parque Nacional da Serra do Cipó.

 

Fotos: Sempre-vivas podem ser apreciadas durante a caminhada. /Paisagem no percurso das samambaias.

 

Após uma longa caminhada, chegamos ao percurso das samambaias - que tem aproximadamente 1k de extensão. É um trajeto bem fechado pelas plantas mas é uma experiência bem legal de ser vivida. A sensação passada é de estar dentro de um filme do Indiana Jones.

Após passar a mata das samambaias, é possível encontrar um dos principais pontos para se refrescar em um bom banho de cachoeira: a Cachoeira do Espelho. Com águas cristalinas, fazendo com que de fato o reflexo da paisagem se reflita em seu horizonte, como um espelho d’água, a Cachoeira do Espelho traz uma beleza pouco vista, que encanta os trilheiros e permite mergulhos muito refrescantes.

Boa parte do poço da Cachoeira do Espelho é fundo, por isso, recomendamos que aqueles que não saibam nadar, tomem bastante cuidado. Há um mirante com o percurso das águas com uma vista maravilhosa

 

Fotos: Cachoeira Espelhada / Mirante da Cachoeira Espelhada.

 

Percorridos os 11 km na ida, e após aproveitar  vários pontos turísticos do Parque Nacional da Serra do Cipó, chegamos no ponto alto e mais esperado da caminhada: o Travessão.

Ele é simplesmente um lugar significativo e monumental com uma paisagem encantadora e que faz valer a pena todo o esforço físico para alcançar o ponto alto da camihada. É, sem dúvida, uma das paisagens mais belas do Parque Nacional da Serra do Cipó.

A caminhada faz com que você se desafie mas, também, proporciona paisagens esplêndidas e sem dúvida possui um diferencial relevante, o marco entre a transição do cerrado e da mata atlântica, é impossível ser amante da natureza e não se apaixonar pelo magnífico Travessão.

 

Foto: Após uma longa caminhada a recompensa: chegamos ao mirante do Travessão.

 

Onde se hospedar e se alimentar

Na região existem muitas opções de hospedagem, como pousadas e até spas que atendem os mais variados gostos e bolsos. A hospitalidade dos moradores da região é sempre um bônus.

Sobre as opções gastronômicas nem se fala, existem muitos restaurantes,  que vão desde a  comida típica mineira à opções de happy hour e de lanches rápidos.

 

Dicas para aproveitar ao máximo o Travessão

  • Leve bastante água e comida para passar o dia;
  • O Parque Nacional da Serra do Cipó recomenda o uso da portaria Alto Palácio para acessar o Travessão;
  • Recomendamos a contratação de um condutor para a realização do passeio, eles conhecem muito bem a região;
  • Vá com roupa confortável e que cubra as pernas e braços, para não se arranhar nas samambaias e use sapatos que dêem aderência;
  • Dê preferência em fazer o passeio em dias frescos, mais nublado, para evitar muita exposição ao sol. Se o dia estiver de céu aberto, nem precisa dizer que bonés, chapéus e protetor solar se tornam itens básicos, não é?
  • cedo, pois a caminhada é longa e demorada - em torno de 6 horas andando;
  • Um cajado será muito útil durante a caminhada, já que o trajeto é bastante íngreme;
  • Não há sinal de telefonia móvel nem brigada de resgate na região (mais um motivo para ir acompanhado de um condutor de turismo);
  • Seja um turista consciente, respeite a comunidade local. Durante a pandemia não viaje se estiver com suspeita ou com sintomas de COVID 19, não aglomere, use máscara e álcool em gel sempre que indicado.

 

Gostou da ideia de conhecer melhor a Serra do Cipó? Clique aqui e leia curiosidades sobre a belíssima região da Serra do Cipó.

Sobre o Autor

Milena Rocha

Graduanda em turismo, mulher das gerais, trilheira em ascensão e viajante por natureza. Vivo de experiências e sou um pouco de cada lugar que conheci.

Clara Ferreira

Mineira raiz, turismóloga em formação, amante de belas paisagens e da natureza. Como uma boa taurina, estou sempre em busca dos melhores sentidos da vida.

Comentários