Turismo em Minas Gerais | Roteiro pelas cidades coloniais

1.053
Foto por: Embratur
Atualizado em: 01/06/2023

Roteiro de 4 dias pelas cidades coloniais de Minas

 

A edição de junho da revista da Azul, distribuída em todos os voos da companhia, terá como destaque cidades históricas de Minas Gerais e nós acompanhamos tudinho da seleção dos destinos destaques!

 

 

O Turismo é diverso e existem várias maneiras de experimentar os destinos. Seja pela via da aventura, da natureza, da gastronomia, da criatividade, da religião, enfim, são inúmeras as possibilidades. Contudo, turismo e cultura formam uma dupla imbatível, como o queijo e a goiabada ou o pão de queijo com café, tornando a experiência do viajante única, rica e inesquecível!

Foi exatamente isso que a revista de bordo da Azul Linhas Aéreas veio buscar em Minas Gerais para apresentar aos seus passageiros nacionais e internacionais no mês de junho.

Durante quatro dias a jornalista e turismóloga da Azul, Aline Bernardes e o fotógrafo Ariel Martini, conheceram um pouco do rico patrimônio cultural, da comida mineira e das belezas naturais do estado. Eles visitaram os principais pontos turísticos de algumas cidades históricas como Congonhas, Tiradentes e Bichinho, São João Del Rei, Ouro Preto e Mariana, tudo com a companhia da Eliane Fissicaro, que é aqui do time Visite Minas Gerais!

 

 

 

Parada I - Congonhas

A primeira parada foi em Congonhas, em visita guiada ao Santuário do Bom Jesus de Matosinhos, considerado uma das obras-primas do barroco mundial. O guia local explicou todo o processo de sua concepção e construção, iniciado em 1757, pelo minerador português Manoel Feliciano. Ao se curar de doença grave, Manoel iniciou a construção de um santuário em devoção ao Bom Jesus de Matozinhos para pagar a promessa.

Na finalização da obra, Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, foi contratado para talhar 66 imagens em madeira de cedro com figuras da paixão de cristo e os 12 profetas da Bíblia em pedra-sabão (há teorias que os 12 profetas seriam retratos dos Inconfidentes Mineiros). Em 1819 o Mestre Ataíde foi contratado para restaurar a pintura da capela-mor e a pintura das cenas da Paixão de Cristo nas 6 capelas dos passos. Com paisagismo de Burle Marx, em 1985 todo o complexo do Santuário foi declarado Patrimônio Mundial pela UNESCO.

 

 

 

Parada II - Tiradentes

A visita seguinte foi à Tiradentes, onde a equipe fez um passeio noturno para conhecer as lendas, estórias e mistérios que cercam a cidade. O segundo dia foi dedicado a visitar os principais pontos turísticos de Tiradentes e, na sequência, dois ateliês de arte em Bichinho, distrito de Prados que fica bem pertinho. Ainda nesse dia a equipe fez um Walking Tour em São João Del Rei, acompanhada por um guia local.

 

 

Ouro Preto e Mariana ficaram para o fim, como a cereja do bolo. A visita à Mina do Chico Rei recriou a atmosfera do Brasil Colonial e deu o tom para o restante da viagem, que transbordou de história e tradição. A mina fica nos fundos do quintal de uma propriedade particular, do Sr. Toninho. Personagem de Ouro Preto que encanta os visitantes com a estória do Chico Rei, um escravo que conquistou sua alforria e tornou-se rico, além de ter sido o único negro que possuiu uma mina de ouro nos tempos coloniais.

 

 

 

Parada III - Ouro Preto

Ouro Preto foi a primeira cidade brasileira a receber o título de Patrimônio Cultural da Humanidade (Unesco,1980) devido a importância para a humanidade de seu acervo arquitetônico e artístico. Grandes artistas do período colonial possuem obras espalhadas por toda a cidade como Manoel da Costa Athaíde e Aleijadinho, por exemplo.

 

 

 

Parada IV - Mariana

De Ouro Preto à Mariana são apenas 30 minutos de viagem, tempo suficiente para refrescar a cabeça e se preparar para mais uma avalanche da história de Minas Gerais e do Brasil. A visita à Mina da Passagem, a maior mina de ouro aberta à visitação do mundo, trouxe à tona o período do ciclo do ouro. Lá o grupo teve acesso às estórias e lendas como a do Capitão Jack, inglês que capitaneou os trabalhos na Mina e morreu em 1880, mas dizem que seu coração ficou por lá, com sua amada esposa.

Em City Tour pelo centro histórico de Mariana foi possível reconhecer a importância e riqueza do município que foi a primeira vila, cidade e capital do estado de Minas Gerais. A Catedral de Nossa Senhora de Assunção, que abriga o único exemplar do órgão Arp Schnitger fora da Europa, datado de 1701, impressiona pela beleza e tamanho. A Praça Minas Gerais, a Igreja Nossa Senhora do Carmo, Igreja São Francisco de Assis (visitação externa), Igreja São Pedro dos Clérigos foram outros pontos de destaque.

 

 

De volta a Ouro Preto e a rua mais inesquecível do mundo…

Como tudo que é bom acaba, o dia terminou com a volta para Ouro Preto, já de noitinha, para o descanso merecido da turma. A manhã do último dia foi de visitação intensa às igrejas de São Francisco de Assis e Basílica Matriz de Nossa Senhora do Pilar. Duas maravilhas da cidade que não poderiam ficar de fora.

A rua Conde de Bobadela, ou Direita, como é conhecida popularmente na região, fechou o roteiro da viagem (TEM VÍDEO NOVO DA RUA  NO INSTAGRAM @VISITEMINASGERAIS). A rua foi considerada uma das mais inesquecíveis do mundo, ao lado de avenidas famosas da Itália, Alemanha e Estados Unidos, segundo levantamento realizado pelo site “Booking.com”. Para o orgulho dos mineiros, Ouro Preto foi a única cidade do Brasil a ser citada pela pesquisa.

 

 

CLIQUE AQUI PARA SABER MAIS SOBRE VIAGENS E PATRIMÔNIO CULTURAL DE MINAS!

NOS SIGA NAS REDES SOCIAIS @VISITEMINASGERAIS

Sobre o Autor

Eliane Fissicaro

Eliane Fissicaro, jornalista e Gestora na Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais. Apaixonada por cachorros e viagens!

Comentários

O que eu procuro em Minas?