Turismo em Minas Gerais | Ouro Preto e Brumadinho: uma viagem cultural à Minas Gerais

Foto por: Camila Castanheira
Atualizado em: 23/03/2021

Ouro Preto e Brumadinho: uma viagem cultural a Minas Gerais

 

Quem visita Minas Gerais e conhece sua riqueza artística e cultural se encanta com tudo que vê, desde as cidades históricas à Brumadinho, terra do Inhotim.

 

Minas Gerais definitivamente é um destino muito especial no nosso Brasil.

Aquela expressão: tem de tudo e para todos os gostos, realmente prevalece por aqui. Que estado plural, viajantes!

É a natureza nos conectando com exuberantes florestas, montanhas e águas medicinais, é o riquíssimo patrimônio histórico e cultural nos mostrando nossas origens, é a singular cozinha mineira que, particularmente, considero uma das mais marcantes de todo o país e, por fim, a grande relíquia de Minas gerais que faz tudo acontecer: o povo. Que gente do bem. Os mineiros com certeza são o melhor de Minas.

Já tive a oportunidade visitar o estado algumas vezes e sempre me surpreendo com algo e em minha última viagem para lá não foi diferente.Conheci Ouro Preto e Brumadinho, dois lugares conectados com a cultura e a arte que estavam no meu radar há muito tempo.

Foram alguns dias mergulhando na história e arte brasileira e eu conto aqui para vocês como foi esta experiência tão incrível.

 

Ouro Preto

Vila Rica no passado e Ouro Preto atualmente, esse pedacinho de Minas tem história que não acaba mais.

Essa lindíssima cidade abriga  um dos Patrimônios da Humanidade pela UNESCO em Minas Gerais, foi berço do Ciclo do Ouro no século 17 e 18, da Inconfidência Mineira e da arte barroca brasileira.

O que conheci em Ouro Preto

Andar por suas ruas é voltar no tempo e é o que recomendo primeiramente sem moderação. Ande por tudo, sem destino e direção, você irá encontrar cada lugar lindinho que não imagina.

A arquitetura colonial, erguida por artistas, no Ciclo do Ouro, entre homens livres e pessoas negras escravizadas ainda continua lá, bem preservada, as ruas de pedras, as igrejas, casarões. centenários, fontes, repúblicas, as pinturas, esculturas, tudo mais que acessível, nos contando o que se passou por aqui.

Já deu para perceber que me apaixonei por Ouro Preto, não é?! Na verdade, eu não queria ir embora!

p>Vídeo: Conhecendo Ouro Preto.

 

Dicas para conhecer Ouro Preto

Recomendo de 3 a 4 dias na cidade para conhecer tudo com calma, do jeito que a Ouro Preto merece. Vão aqui alguns lugares que não podem faltar no seu roteiro:

 

Igreja de São Francisco de Assis

Essa igreja estilo rococó foi projetada por Aleijadinho e também pelo mestre Ataíde. É um verdadeiro tesouro para a arte brasileira.

Dentro da igreja podemos observar a riqueza da arte brasileira inspirada nas manifestações artísticas de Portugal. O chão da igreja é o original e há sinais, não confirmados, referenciados a Aleijadinho de uma conexão com a maçonaria.

Demais não é!? Aproveite a visita na Igreja e visite a feirinha de Pedra Sabão que fica bem em frente.

Foto: Conhecendo a Igreja de São Francisco de Assis.

 

Basílica de Nossa Senhora do Pilar

Fiquei completamente apaixonada por esta igreja, que foi uma das mais importantes na época em que Ouro Preto era Vila Rica.

Quem adora arte vai se surpreender com os altares barrocos cobertos de ouro. Os cantos gregorianos também emocionam.

Recomendo que contrate um guia para conhecer a igreja, aliás, para conhecer Ouro Preto, porque são tantos os detalhes importantes!

Nesta basílica também entendi o que é o “Santo do Pau Oco”. Ao lado da igreja há também um cemitério. Antigamente as pessoas eram enterradas nas igrejas.

Foto: Altar mega barroco da Basílica Matriz de Nossa Senhora do Pilar.

 

Mina Santa Rita

Indo à Minas é fundamental conhecer uma mina.

Além de ser surpreendente, visitar uma mina é a melhor maneira de entender como realmente funcionava o garimpo no ciclo do ouro.

É uma experiência intensa. É triste ver como as pessoas negras escravizadas sofreram e como viviam.

Tive a oportunidade de conhecer a Mina Santa Rita que é familiar e a visita super temática. Adorei e super recomendo.A mina fica na Rua da Fumaça a mais antiga de Ouro Preto.

 

Museu da Inconfidência

Acreditem, este é o segundo museu mais visitado do nosso Brasil.

Fiquei impressionada com a organização deste museu que conta sobre a história do período do ciclo do ouro no século 17 e também sobre a inconfidência.

Há também uma parte sobre arte sacra impressionante. É aqui que está também vários túmulos de muitos inconfidentes. O museu fica nos arredores da Praça Tiradentes. Aproveite para bater perna por ali. É uma delícia essa região da cidade.

Foto: O imponente prédio do Museu da Inconfidência.

 

Foto: A famosa Praça Tiradentes.

 

Casa da Ópera

Se tem um lugar que não fui, mas queria muito é o teatro municipal. Inaugurado em 1770, é o mais antigo teatro das Américas a estar na ativa. Sempre há apresentações maravilhosas da Orquestra Sinfônica de Ouro Preto. Um motivo para eu voltar com certeza!

 

Museu Casa Guignard

Pertinho do museu da Inconfidência está este importante museu para a história da arte brasileira.

A casa Guignard guarda inúmeras obras do artista Alberto da Veiga Guignard, um apaixonado por Minas Gerais que em suas obras explorada muito as paisagens e movimentos artísticos de sua época: década de 40, 50 e 60.

Foto: Obras do artista Guignard.

 

Aproveite para fazer um bate e volta à Mariana

Há 15 km de Ouro Preto está essa importantíssima cidade para nossa história. Mariana foi a primeira vila e a primeira capital de Minas Gerias além da cidade mais rica do Ciclo do Ouro. Vale um tour por suas ruas, igrejas e também apreciar a arte dos artesãos locais, que é lindíssimo.

Foto: Casarios em Mariana.

 

Brumadinho

Saímos de Ouro Preto, cuja história refere-se principalmente ao século 17 e seguimos para Brumadinho, onde está um dos maiores museus a céu aberto de arte contemporânea do mundo

São cerca de 110km de estrada e uma paisagem linda de muito verde e montanhas.

Brumadinho é uma verdadeira joia no nosso país. Aqui a arte e cultura transbordam em todos os sentidos.

 

O que conheci em Brumadinho

Na Serra da Moeda, por exemplo, há artistas premiados mundialmente com seus ateliês especializados em cerâmica, que podemos visitar e entender o processo de criação de cada artista.

Eu confesso que não fazia ideia desta parte artística tão ampla de Brumadinho e isso foi uma das coisas que mais me surpreendeu. Os ateliês em sua maioria ficam no meio da mata, em sítios e fazendas, o que torna o passeio ainda mais inspirador.

Foto: No famoso Topo do Mundo em Brumadinho.

A região toda é muito conhecida pela cerâmica. Essa cultura começou na década de 70 a chegada de Toshiko Ishii,uma japonesa que trouxe sua arte e técnica do outro lado do mundo e inspirou artistas de todos os cantos a virem conhecer a nossa terra.

Quando estive na região conheci alguns ateliês de brasileiros e estrangeiros, “escondidinhos” no meio da natureza que me fascinaram. Não deixe de colocar na sua rota:

Foto: Fazendo amizades no Ateliê Saracura.

 

Ateliê Saracura Três Potes

Os premiados artistas José Alberto Bahia e Jéssica Martins são muito receptivos.

O ateliê do casal, fica no meio da Serra da Moeda rodeado por flores e passarinhos. Os artistas já desenvolveram muitos projetos interessantes e dentre eles gostei muito do Cascas do Brasil, que utiliza cascas e sementes do cupuaçu, timbó e cabaça junto com a cerâmica em alta temperatura.  

O casal de artistas recentemente desenvolveu trabalhos em cerâmica com índios da tribo Wauja, do Alto Xingú. Vale muito a visita neste ateliê.

Foto: Arte do Ateliê Saracura.

 

Ateliê Shakra

Este peculiar Ateliê na Serra da Moeda é comandado por BenediktWiertz, ceramista alemão, casado com a gastrônoma brasileira Josiane.

O Bene, como é conhecido, foi Diretor da Escola Guignard professor convidado da Academia de Belas Artes de Munique em 2014. O processo de criação do artista é muito curioso e vai desde criação de utensílios domésticos até arte decorativa e artística.

Foto: Ateliê Shakra.

 

Ateliê Primeiro Elemento 

Roberto Bicalho é um verdadeiro artista. Formado em desenho industrial, Roberto deixou o trabalho em empresas a cerca de 8 anos para se dedicar a arte. Ele recolhe sucata de ferro velhos e transforma em arte.

O processo de criação do artista é muito curioso e não segue uma linha específica: segundo Roberto, ele visualiza o formato do ferro e já imagina algo nascendo.

Foto: Ateliê Primeiro Elemento.

 

Piedade de Paraopeba

Esse distrito de Brumadinho é muito especial e pouco conhecido.

Foi aqui que Fernão Dias acampou pela primeira em vez em 1729 em busca de pedras preciosas. Alguns historiadores já admitem que Piedade foi a primeira Vila de Minas Gerais no papel.

A região foi muito importante no passado pois era aqui que o Ouro descoberto, durante o ciclo do Ouro, ficava. Piedade era como se fosse o banco da época.

Aqui no distrito, podemos visitar a Igreja Matriz Nossa Senhora da Piedade, concluída em 1713. A igreja, com características maneiristas, já passou por diversas reformas e restauros que infelizmente a descaracterizaram, mesmo assim vale a visita, pois,  mostra muito sobre a história da arte brasileira.

Foto:  Igreja Matriz Nossa Senhora da Piedade, concluída em 1713.

 

Inhotim

Para finalizar a nossa viagem cultural por Minas, chegamos a INHOTIM – Instituto de Arte Contemporânea e Jardim Botânico, um dos maiores museus a céu aberto do mundo.

O museu foi eleito como uns dos melhores museus do Brasil e foi indicado por uma revista inglesa como um dos 40 lugares mais fabulosos do mundo para se conhecer.  Aqui no Google Arts& Culture conseguimos fazer um tour prévio para entender melhor a dinâmica do museu.

Caminhar por esse lugar é algo surreal. O museu foi projetado entre jardins fascinantes que interagem com as obras de arte e com os visitantes a todo momento.

São mais de 20 galerias com obras de 85 artistas de 26 diferentes nacionalidades. São esculturas, desenhos, fotos, vídeos e instalações que dialogam conosco, mostrando a imensidão da arte contemporânea.

Foto:Galeria True Rouge, no Inhotim.

 

Um tour cultural por Minas Gerais

Minas definitivamente conquistou meu coração e já quero voltar assim que puder. São muitas e muitas viagens para conhecer tanta coisa maravilhosa que esse estado nos oferece.

Espero que vocês tenham gostado da nossa viagem cultural por Minas Gerais. Escrevi com o maior carinho para todos vocês.

Um beijo

Camila Castanheira

 

Leia também: São João Del Rei oferece trilha com natureza e história.

 

Alerta Covid-19: Em virtude da pandemia do Covid-19, verifique se a cidade se encontra aberta para visitação.

Sobre o Autor

Camila Castanheira

Empreendedora digital e fundadora do blog Acordei Quero Viajar, especializado em viagens criativas e culturais. Realiza expedições para lugares singulares.

Comentários