Turismo em Minas Gerais | Ouro Preto: dicas imperdíveis de contato com a natureza

Ouro Preto: dicas imperdíveis de contato com a natureza

Foto por: Xará - Pico do Itacolomi em Ouro Preto.
Atualizado em: 26/05/2021

Ouro Preto: dicas imperdíveis de contato com a natureza

 

As atrações de Ouro Preto são tantas que, neste post, você vai conhecer uma nova Ouro Preto, com dicas de passeios ao ar livre.


 

Ouro Preto é um destino completo. A apenas 100 km da capital mineira, é parte da Estrada Real, maior rota turística brasileira.

As ladeiras de Ouro Preto são recheadas de pontos turísticos que remontam ao Ciclo do Ouro. A maioria das pessoas chega até ali por sua inegável riqueza cultural. E não é pra menos. O centro histórico de Ouro Preto tem o título de Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco, o que atrai olhares do mundo todo.

Mas se você está em busca de uma Ouro Preto diferente, que vai além do centro histórico, esse post é para você. Com um olhar mais atento e, claro, com essas dicas incríveis, você vai conhecer outra versão de Ouro Preto.

 

Foto: Vista do centro histórico de Ouro Preto.

 

O que fazer em Ouro Preto

Aqui a melhor forma de conhecer seus pontos turísticos é caminhando.

Ouro Preto permite a prática de muitos passeios ao ar livre, com muitas doses de natureza e até aventura em suas serras e cachoeiras. Vale trekking, tirolesa, escalada e até passeios de caiaque.

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Visite Minas Gerais (@visiteminasgerais)

 

 Parques naturais

Para quem está em busca de descansar a mente, respirar novos ares e colocar o corpo em movimento, não dá para deixar de visitar os parques naturais da cidade.

 

Parque Estadual do Itacolomi

Foto: Pico do Itacolomi. 
 

O Pico do Itacolomi é uma marca da cidade e fica no Parque Estadual do Itacolomi, aberto a visitação. Do centro histórico mesmo é possível vê-lo. Aliás, este pico foi usado como referência aos bandeirantes que percorriam a Estrada Real para chegar à antiga Vila Rica.  

No parque é possível fazer uma trilha até o Pico do Itacolomi, que oferece uma vista de 360º de toda a cidade. Neste passeio o visitante percorre uma trilha de 12 km ida e volta, cerca de 4h no total.

Para quem não perde uma oportunidade de se refrescar, a Lagoa da Capela é uma opção de banho, que fica bem próximo à sede do parque, cerca de 200m.  

O acesso ao parque é feito pela rodovia que liga Ouro Preto à Mariana. Após a entrada de Ouro Preto, seguir pela rodovia em direção à Mariana por cerca de 7km até o trevo do Hospital Santa Casa Misericórdia e a portaria do parque.

Foto: Parque Estadual do Itacolomi. 

 

Parque Natural Municipal das Andorinhas

O Parque Natural Municipal das Andorinhas protege as nascentes mais altas do Rio das Velhas, um afluente importante do Rio São Francisco.

Com tanta água, suas piscinas naturais e cachoeiras são os atrativos mais visitados por quem busca nadar e relaxar. As trilhas variam do nível fácil ao difícil, vai ao gosto do freguês.

Não dá pra perder os mirantes paras as exuberantes paisagens naturais do local.

O acesso pode ser feito a partir da sede do município de Ouro Preto - a primeira pela Rua 15 de Agosto, passando pelos bairros Morro da Queimada, Morro Santana e Morro São João, onde se acessa a portaria/entrada 1. E a segunda forma de acesso é pela Rua Henri Gorceix, ladeira João de Paiva, passando pelo bairro São Sebastião, de onde se acessa a portaria/entrada 2.

 

Floresta do Uaimii

Foto: ilustração de trilhas por áreas naturais.

 

No distrito de São Bartolomeu, em Ouro Preto, está localizada a Floresta do Uaimii, a primeira reserva estadual de Minas Gerais, com trilhas encobertas de Mata Atlântica e belíssimas cachoeiras. O acesso aos pontos turísticos naturais é por meio de trilha, em meio a mata, de aproximadamente 4km.

O local é ideal para quem busca conexão com a natureza. Possui duas entradas: a de São Bartolomeu e a de Brás Gomes.

 Cachoeiras

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Visite Minas Gerais (@visiteminasgerais)

 

Ouro Preto tem diversas opções pra quem não dispensa um passeio com um belo banho de cachoeiras.

Foto: Cachoeira do Castelinho - Chapada.

Foto: Cachoeira Três Pingos.

 

Essas são apenas algumas, no próprio Parque Estadual do Itacolomi é possível aproveitar pra se refrescar com menos de 1,5 km de trilha, além do Parque Natural Municipal das Andorinhas e da reserva Floresta Uaimii.

 

 Um pouco de adrenalina

Foto: ilustração da prática do esporte stand up paddle.

 

A Fazenda Nascer (RPPN) localizada dentro da reserva Uaimii oferece opções de entretenimento como caminhadas ecológicas, caiaque, stand up paddle, camping, e, ainda, experimentar uma boa comida caseira mineira.

 

 Turismo rural e romance

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Visite Minas Gerais (@visiteminasgerais)

 

Os distritos de Lavras Novas, Cachoeira do Campo e Amarantina são procurados por quem está em busca de vivências em ambientes rurais e, porque não, romance.

A paisagem, as pousadas aconchegantes e bares são um charme e criam um clima. Aos casais aventureiros também oferecem atrações turísticas de natureza em estações ecológicas, fazendas, passeio à cavalo, quadriciclo e bike.

Foto: passeio de quadriciclo pelo distrito de Lavras Novas, Ouro Preto. 

 

 Mirantes

Também é possível meditar, refletir e admirar os cenários nos mirantes localizados em diversos pontos da cidade, são eles:

  • Mirante na Rua Getúlio Vargas, conhecido como "muro dos namorados" tem uma bela vista para o bairro Pilar, com destaque para a Basílica de Nossa Senhora do Pilar.
  • Mirante de Santa Efigênia quase passa desapercebido por quem visita apenas a igreja. Vale a pena se debruçar diante do visual visto para tentar identificar as diferentes atrações do Centro Histórico.
  • A caminho da cidade de Mariana, seguindo pela Rua Conselheiro Quintiliano, encontra-se a mureta do Mirante das Lajes. A vista contempla paisagens da Praça Tiradentes, emolduradas pelos morros de Ouro Preto.
  • Mirante do Morro São Sebastião, que fica bem ao alto, se tem a vista mais completa do Centro Histórico de Ouro Preto. A graça está justamente em tentar identificar tantos diferentes pontos de interesse, como as igrejas, os museus e o Pico do Itacolomi. A visão é tão ampla que até mesmo parte do campus Morro do Cruzeiro, da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) pode ser observado.
  • E o Mirante da Igreja Mercês e Misericórdia, que no muro de seu adro, desfrutamos de um lindo pôr do sol!


 Natureza e cultura

 

Ecomuseu

No alto da Serra de Ouro Preto, no bairro São João, até a cumeada onde se encontram as ruínas do moinho de vento, um território que abriga o Ecomuseu, que guarda a memória do primeiro grande assentamento urbano, destruído pelo incêndio ordenado pelo Conde de Assumar, na Sedição de 1720.

O Ecomuseu possui um conceito diferenciado de museu: cultura, patrimônio e vivências comunitárias numa lógica de território que envolve os morros da Queimada, Santana, São João e São Sebastião.

Museu do Chá

Para conhecimento e experiência, no Parque do Itacolomi acolhe o Museu do Chá, a edificação da antiga Fábrica de Chá Edelweiss, da Fazenda de São José do Manso, e que conserva a memória dessa atividade da primeira metade do século 20, ao cultivo do chá iniciado no século 19.

Casarão do Manso

E no casarão do Manso, há uma exposição, em sensível contexto museográfico, sobre os naturalistas que visitaram Minas Gerais desde a abertura dos portos do Brasil (1808) até o final do Império.

Construções minimalistas

Para os minimalistas, na rodovia de acesso a Ouro Preto, no distrito de Cachoeira do Campo, é possível desfrutar de um maravilhoso conjunto de reduções de edifícios históricos de todo o Brasil, do Farol da Barra na Bahia ao Palácio da Alvorada, da Câmara de Mariana à Igrejinha da Pampulha.

 

 Sabores e saberes  

Seguindo uma outra rota, descobrimos a expressividade ouro-pretana em seus sabores e saberes da região.

 

Cozinha mineira

No cardápio encontramos delícias típicas mineiras como: frango com quiabo, carne de porco com oro-pro-nobis, angu, feijão tropeiro, tutu com torresmo, carne de panela, produção artesanal da goiabada cascão, doce de leite nas quitandas distribuídas nos distritos de São Bartolomeu, Santo Antônio do Salto e Santa Rita.

 

Produção artesanal

Foto: Produção artesanal em pedra sabão.

 

E não dá para deixar de visitar a produção artesanal em pedra sabão em Santa Rita de Ouro Preto, lá, encontramos a essência do artesanato em pedra sabão, arranjo produtivo local da cidade, onde ocorre a fabricação de panelas do material.


Deu pra ver que você ainda tem muito o que conhecer em Ouro Preto, não é?

Ah, para a visita aos pontos turísticos recomendamos a contratação de um guia para melhor interpretação e aproveitamento da riqueza das atrações. 

Sinta os caminhos de Ouro Preto, cidade que conta a história de Minas, e siga as trilhas das belezas históricas e naturais!

 

Gostou das dicas? Conheça mais opções de passeios ao ar live em Minas. Carrancas: Conheça a terra das cachoeiras. 

Sobre o Autor

Patrícia Souza

Jornalista, estuda Turismo, apaixonada por rock n’ roll, filmes, literatura e natureza. Atua na Sec. de Turismo de Ouro Preto na área de Comunicação e...

Comentários