Turismo em Minas Gerais | Conheça 4 bens tombados como Patrimônio Cultural da Humanidade em Minas

Foto por: Acervo MTur - Pedro Vilela
Atualizado em: 06/04/2021

Conheça 4 bens tombados como Patrimônio Cultural da Humanidade em Minas

 

Que tal conhecer um pouco mais sobre os sítios do Patrimônio Cultural em Minas Gerais que fazem parte do hall dos pontos turísticos mais relevantes no mundo?

 

Atrações turísticas culturais não faltam em Minas, mas você sabe quais são e onde estão as de maior relevância? 

Espalhadas por diferentes cidades mineiras, algumas já alcançaram seu reconhecimento como patrimônio cultural nacional ou mundial e, por isso, recebem os olhares de turistas do mundo todo.

O que é um patrimônio cultural?

Pra falar de patrimônio cultural, primeiro a gente precisa entender o que é isso.

Patrimônio cultural é um título de reconhecimento que alguns bens recebem por seu excepcional valor à sociedade, seja por sua importância histórica, arqueológica, etnográfica, bibliográfica ou artística.

Um bem cultural pode ser tanto material como imaterial, assim como pode receber o título de patrimônio por sua importância ao município, estado, país ou à humanidade, gradativamente, de acordo com o nível de importância da conservação daquele bem para a sociedade.

Para a preservação de bens culturais, são tombados desde paisagens, edificações, acervos, jardins, ruínas, sítios arqueológicos e por aí vai.

Curiosidades sobre o Patrimônio Cultural de Minas Gerais

 

 

Tombamento municipal e estadual:

Minas Gerais já soma quase 6 mil bens culturais reconhecidos presentes em todo o estado, entre materiais e imateriais (ICMS Patrimônio Cultural). Destes, 149 foram tombados pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha MG), com destaque a 11 núcleos históricos, 23 conjuntos paisagísticos e 7 bens registrados como patrimônio imaterial, sendo eles:

Tombamento e registro federal:

Quando falamos do patrimônio cultural material já reconhecidos pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan, 2019), Minas Gerais concentra 17% dos bens tombados no país, é o 2º estado brasileiro em proporção pelo Iphan.

Já quando o assunto é o patrimônio imaterial, usamos o termo “registro” para indicar o seu reconhecimento. Podem ser considerados bens imateriais práticas importantes da identidade de grupos sociais ou indivíduos, normalmente transmitidos de geração a geração.

Minas Gerais tem registrados 2 saberes tradicionais entre os 13 reconhecidos no país pelo Iphan. São nossos patrimônios imateriais: o  ofício de sineiro, apontado como saber tradicional e meio de comunicação e identidade marcantes nas cidades de Ouro Preto, Mariana, Catas Altas, Congonhas do Campo, Diamantina, Sabará, Serro e Tiradentes e também o modo artesanal de fazer queijo de Minas, nas regiões do Serro, Serra da Canastra e do Salitre, como cultura e tradição dessas regiões.

Tombamento mundial:

Podem ser tombados como Patrimônio Cultural Mundial monumentos, grupos de edifícios ou sítios de valor universal excepcional.

Minas Gerais acumula 4 sítios do patrimônio cultural da humanidade entre os 14 presentes no Brasil, reconhecidos pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). É, portanto, o maior destaque no país quando se fala em patrimônio cultural da humanidade.

Quais são os bens tombados como Patrimônio Mundial Cultural de Minas?

Confira agora os maiores destaques entre os sítios do patrimônio cultural da humanidade em Minas Gerais.

A cidade histórica de Ouro Preto

Onde fica: Ouro Preto

Foto: Ouro Preto.

O acervo arquitetônico e artístico do centro histórico de Ouro Preto possui tamanha relevância à humanidade que a cidade foi a primeira no Brasil a receber o título de Patrimônio Cultural da Humanidade (Unesco,1980).

Ouro Preto guarda uma infinidade de surpresas, principalmente se você se interessar por história da arte. Grandes artistas do período colonial possuem relevantes obras espalhadas pela cidade: Manoel da Costa Athaíde e Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho.

 

Centro histórico da cidade de Diamantina

Onde fica: Diamantina

Foto: Diamantina.

O centro histórico de Diamantina recebeu o título de Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco em reconhecimento a importância e beleza do seu traçado urbano e padrão arquitetônico que, por sinal, muito bem convivem na encosta da Serra dos Cristais, uma moldura perfeita.

 

Conjunto Moderno da Pampulha

Onde fica: Belo Horizonte

Foto: Vista aérea da Lagoa da Pampulha, Belo Horizonte.

 

Um dos mais tradicionais cartões postais de Belo Horizonte, o Conjunto Moderno da Pampulha é um complexo arquitetônico, fruto da idealização de Juscelino Kubitscheck, prefeito da cidade na época, e da genialidade de Niemeyer e de Burle Marx.  

Localizado em uma região super charmosa de Belo Horizonte, o complexo nasceu para compor o revolucionário centro de lazer da capital mineira. No tombamento pela Unesco foram considerados a Igreja de São Francisco, conhecida como Igrejinha da Pampulha, o Iate Tênis Clube, Museu de Arte da Pampulha (antigo cassino), Casa do Baile e o espelho d’água da lagoa da Pampulha, fruto do represamento das águas do ribeirão Pampulha. 

 

Santuário do Senhor Bom Jesus do Matosinhos

Onde fica: Congonhas

Foto: Santuário  do Senhor Bom Jesus do Matosinhos, Congonhas.

 

Santuário do Senhor Bom Jesus do Matosinhos  é considerado uma das obras-primas do barroco mundial. O trabalho entregue em 1805 é formado por 12 esculturas dos  profetas  em pedra sabão, 6 capelas que representam os passos da Paixão de Cristo, compostas por 66 esculturas em madeira, além da Igreja do Bom Jesus em estilo rococó. Assinam os grandes artistas do período colonial Aleijadinho e Manoel da Costa Athaíde. Sim, a dobradinha dos dois aí outra vez.

Conta pra gente se você já conheceu um desses patrimônios mineiros.

Aproveite para conhecer ou, mesmo, matar a saudade em um passeio virtual no Minas 360º por: Belo Horizonte, Diamantina e Ouro Preto.

Sobre o Autor

Júnia Gontijo Cândido

Turismóloga, apaixonada pela vida ao ar livre, dogs, livros, séries e rock'n'roll. Atua na Diretoria de Promoção e Marketing Turístico/Secult MG.

Comentários