Turismo em Minas Gerais | Confira 3 trilhas Próximas a BH para Caminhar ou Andar de Bike

Confira 3 trilhas Próximas a BH para Caminhar ou Andar de Bike

Foto por: Marcelo Guimarães
Atualizado em: 15/06/2021

Confira 3 trilhas próximas a BH para caminhar ou andar de bike 

                          Se você é do time que gosta de caminhar ou andar de bike, apreciar a natureza ou tomar um bom banho de cachoeira, esse post é pra você! 

Aqui duas amigas inseparáveis vão compartilhar suas experiências por trilhas próximas a Belo Horizonte.  

Os caminhos são repletos de ar purocachoeirasfaunaflora, e o melhor de tudo: são lugares de fácil acesso, que podem ser visitados em um bate e volta por quem mora ou visita a capital.  

Não tem erro, confira as dicas maravilhosas da Milena e da Clara:  

Trilhas seguras e de fácil acesso   

Durante a pandemia, descobrimos um hobby em comum: respirar ar puro e viver novas experiências. A partir daí, começamos a nos programar e fazer várias trilhas no entorno de BH. 

É importante destacar que as trilhas que vamos indicar aqui são locais onde há certa segurança para mulheres que, assim como nós, querem se aventurar sozinhas. Além do mais, são lugares sem aglomeração, onde é possível respeitar o distanciamento social. 

Serra do Elefante  

Localizada a 68 km de BHMateus Leme é uma cidadezinha aconchegante que abriga em sua região rural a Serra do Elefante, que, como o próprio nome já indica, vista de longe se assemelha a um elefante deitado.  

Lá é um ótimo lugar tanto para quem quer caminhar e curtir a paisagem, quanto para quem está em busca de aventuras mais radicais.  

A Serra do Elefante possui três rampas de voo livre de parapente e é muito atraente para os praticantes da modalidade hike and fly. Outro destaque é uma trilha construída para a prática  de mountain bike, em especial da modalidade downhill. O lugar é propício ainda para corridas em trilhas (trail running). 

Sobre a trilha na Serra do Elefante 

A estrada de acesso é de chão, inclinada, cheia de cascalhos e inconformidades, a moto escorregou diversas vezes, nos sujamos e deu aquele frio na barriga. Por fim chegamos ao alto da serra, onde está situada a Capela de Nossa Senhora Aparecida.  

A partir da capela, caminhamos por mais ou menos 30/40 minutos e lá estava a cachoeira, com águas cristalinas e uma paisagem exuberante, lembrando muito a Janela do Céu, um atrativo turístico muito conhecido aqui em Minas, localizado no Parque Estadual do Ibitipoca

É interessante ir em grupo e tomar muito cuidado com animais peçonhentos, pois encontramos cobras no local.  

A trilha em si é muito rápida e fácil e ainda conta com um mirante, de onde é possível apreciar uma vista linda e acompanhar a decolagem dos voos de parapentes.  

Dica: Como a estrada de acesso é muito irregular, não é aconselhável ir em períodos chuvosos. 

Localização: Rua Barão do Rio Branco, S/N – Centro, Mateus Leme - MG 

Como chegar: A Serra do Elefante está localizada a cerca de 5 km da Matriz de Santo Antônio. 

Partindo da Praça da Matriz, no centro de Mateus Leme, vire à esquerda na Praça Benedito Valadares (190 m), para a rua à esquerda na Travessa Agente José Ferreira (110 m). Vire à direita na R. Barão do Rio Branco (1,8 km). Continue em frente 3,4 Km e chegará ao Mirante Serra do Elefante.  

Horário: 24 Horas

Entrada: Gratuita 

Serra da Calçada  

Localizada próxima à BR-040, a Serra da Calçada passa pelos municípios de Nova LimaItabirito e Brumadinho (onde fica sua portaria).  

O lugar faz parte da Reserva da Biosfera Serra do Espinhaço, uma área reconhecida pela Unesco como prioritária no mundo para conservação das riquezas naturais e culturais existentes na Terra. 

Com uma riqueza natural incomparável, a serra é perfeita para quem caminhar, andar de bike, tomar um bom banho de cachoeira e ainda conhecer um pouquinho mais sobre a história de Minas.  

Isso porque a Serra da Calçada é também, desde 2008, patrimônio cultural do estado. Entre seus atrativos estão a antiga fábrica de São Caetano da Moeda Velha, o complexo minerário do “Forte de Brumadinho” e ruínas de caminhos de pedras, que contam um pouco sobre a história da mineração no estado nos séculos XVIII e XIX.   

Sobre a trilha na Serra da Calçada 

Iniciamos a trilha com a intenção de chegar até o no Poço Encantado, um dos principais atrativos de lá, porém como a trilha toda tem características áridas do cerrado, ou seja, é bem aberta e com pouca sombra, passamos alguns perrengues e, com isso, nos contentamos em ficar na Cachoeira das Ostras para nos refrescar do sol. 

Mas são essas aventuras que geram histórias para contar depois, não é mesmo?  

Para essa trilha, mais do que nunca, recomendamos muita proteção contra os raios solares já que não há muitas sombras pelo caminho.   

percurso tem uma dificuldade moderada devido alguns cascalhos e ladeiras para subir, mas, fique tranquilo, a paisagem panorâmica natural da serra da trilha é de tirar o fôlego e faz valer o esforço.  

Uma coisa que notamos no trajeto é a presença de vários ciclistas, pois a região é bem procurada também para quem curte esse tipo de esporte.  

Fiquem atentos à sinalização, pois há vários locais bacanas para serem explorados na trilha e muitos caminhos diferentes a se seguir.   

Localização: Alameda das Azaléias, s/n - Condomínio Retiro das Pedras - Brumadinho - MG 

Como chegar: A entrada para Serra da Calçada fica em frente a portaria do Condomínio Retiro das Pedras. 

Horário: 24 Horas

Entrada: Gratuita 

Dica: Chegue cedo para conseguir estacionar o veículo, já que a entrada da trilha é perto de um condomínio e há poucas vagas.   

Serra do Gandarela  

Parque Nacional da Serra do Gandarela, criado em 2014, é um dos mais novos parques nacionais. Sua sede fica no município de Rio Acima, que está a pouco mais de 65km da capital.  

Com entrada gratuita, é um lugar para ir e se apaixonar. O parque é repleto de cachoeiras, poços, mirantes.  

Outro destaque do Gandarela são as aves. Lá existem mais de 300 espécies de aves registradas, sendo que dez delas encontram-se ameaçadas de extinção. Por isso, o parque também é indicado para quem gosta de observação de aves

Sobre a trilha na Serra do Gandarela 

Dentro da cidade, percorremos até a área rural, foram cerca de 5 km de estrada de terra, em bom estado para locomoção.  

No início do trajeto, conhecemos um grupo de meninas e optamos por seguirmos juntas pela trilha.  

A trilha é aberta em quase toda a sua extensão e nela encontramos uma grande cachoeira que se divide em três: Cachoeira do Viana, Cachoeira dos Cristais e Cachoeira do Índio.  

Cachoeira do Viana no topo, é uma espécie de poço e fica muito movimentada. Descendo, por uma trilha pela lateral do curso da água, encontramos a maravilhosa Cachoeira dos Cristais, escondida em meio aos paredões de rocha e vegetação fechada, parece um paraíso perdido.  

Mais abaixo é possível chegar à Cachoeira do Índio, que também é belíssima, mas optamos por deixar essa experiência para outro dia.  

Este passeio também envolveu perrengue, nos distraímos seguindo outro grupo na ida e na volta não sabíamos retornar até a moto. Os caminhos são muito parecidos e simples, então é essencial prestar muita atenção na rota para não ter erro, como dizia meu avô “O bobo e o feio, voltam pelo caminho que veio”. 

Localização: Estrada do povoado de Água Limpa, s/n - Zona Rural- Rio Acima - MG 

Como chegar: Saindo da Praça Santo Antônio, virar na Av. Israel Pinheiro, até chegar à estrada para o povoado de Água Limpa onde está localizado o atrativo 

Horário:  24 Horas

Entrada: Gratuita 

BÔNUS  

Pedra Grande  

A Pedra Grande fica a 61km de Belo Horizonte, na divisa de Itatiaiuçu com Igarapé, tendo acesso pela BR 381.  

Existem duas trilhas para acessar o topo, um caminho aberto de pedras, estilo Santiago de Compostela, e outro por trilha fechada entre árvores e uma vegetação mais densa. 

São aproximadamente 11km (ida e volta) do local onde se estacionam os veículos e o topo da pedra.  

As experiências e paisagens ao longo do percurso são bem distintas, dependendo do caminho escolhido, desta forma recomendamos o caminho aberto para dias mais frios e o caminho fechado para dias ensolarados, pois fica menos exaustivo.  

Essa foi a nossa primeira trilha juntas em Minas Gerais, e é uma das nossas preferidas - por isso deixamos como uma dica bônus.  

Já fomos com chuva, neblina, de manhã, à tarde e em todas as vezes tivemos experiências diferentes e deliciosas.  

trilha é nível médio de dificuldade pois é um percurso íngreme, porém é possível fazê -la com crianças e animais. Há apenas um trecho já no final que é necessário subir uma pedra de cerca de 2 metros de altura que deixa o percurso mais emocionante. Mas pode confiar que vale a pena a subida, pois a vista do topo é fantástica. 

O legal da Pedra Grande é que ela proporciona várias experiências, em um único local, o percurso é belo, há uma vista 360° com várias paisagens diferentes, um cruzeiro, uma caverna que vista por dentro lembra um vestido de noiva.  

Além de ser ótima para ver o nascer e pôr do sol, ela é incrível em qualquer período do dia ou do ano.  

Há também alguns grupos de escaladores de pedras e praticantes de rappel que montam suas estruturas para praticar esses esportes no local.  

Localização: Rod. Fernão Dias, 22, Itatiaiuçu - MG, 35685-000, Brasil 

Horário:  24 Horas

Entrada: Gratuita 

O que levar e como se preparar 

  • Para toda e qualquer trilha, recomendamos que se prepare pesquisando sobre o local, analise o percurso e não confie 100% em GPS, pois eles podem falhar e nem sempre há sinal de telefone.  

  • Tenha um tênis ou bota confortável e em bom estado para não ficar na mão. 

  • Leve água, lanches práticos e que deem substância (sanduíche, frutas). 

  • Levem sacolas plásticas para lixo e descarte quando chegar em casa 

  • Evite levar muito peso na mochila e use mochilas de costas, pois facilita na hora de carregar e caminhar.  

  • Avise amigos e familiares para onde estão indo, e um horário médio para retorno, pois imprevistos podem acontecer. Experiencia própria.  

  • Existem aplicativos como WIKILOC E STRAVA onde é possível pegar o trajeto feito por outros trilheiros para se orientar.  

  • Olhem o tipo de vegetação, nível de dificuldade do trajeto e quilometragem, somado ao clima do dia de sua trilha, pois isso interfere e muito.  

  • Preste sempre muita atenção, pois você está na natureza, e pode se deparar com animais peçonhentos, respeito o habitat deles! 

Sobre o Autor

Milena Rocha

Graduanda em turismo, mulher das gerais, trilheira em ascensão e viajante por natureza. Vivo de experiências e sou um pouco de cada lugar que conheci.

Clara Ferreira

Mineira raiz, turismóloga em formação, amante de belas paisagens e da natureza. Como uma boa taurina, estou sempre em busca dos melhores sentidos da vida.

Comentários